7 histórias inesquecíveis de atendimento ao consumidor no varejo

Às vezes, tudo o que os clientes precisam é se sentir ouvidos. Claro, ninguém quer ter problemas com uma marca ou produto. E se eles acontecem, o que o consumidor mais quer é uma solução. Mas, mais do que qualquer coisa, um atendimento criativo, rápido e assertivo pode fazer toda a diferença na recuperação da imagem da empresa. 1) O dia em que o Sainsbury’s ouviu uma consumidora de 3,5 anos A jovem britânica Lily Robinson se viu intrigada com uma importante questão a respeito de um pão da rede de supermercados Sainsbury’s: por que o pão tiger (tigre) tinha esse nome se, na verdade, era muito parecido com uma girafa? Lily não segurou a dúvida e enviou uma carta ao varejista. Com a ajuda de se

CIC Teutônia realiza mais um treinamento gratuito sobre crédito e cobrança

Formação reuniu 26 pessoas (Crédito: Divulgação CIC Teutônia) Por Leandro Augusto Hamester No dia 25 de maio a CIC Teutônia realizou treinamento gratuito para associados da entidade sobre análise de risco de crédito – “Crédito, risco, perfil da inadimplência e cobrança”. A formação, que contou com 26 participantes, buscou capacitar os profissionais de crédito e apresentar soluções inteligentes para auxiliar o processo de tomada de decisões de crédito e gestão de negócios em todos os segmentos da economia, seja comercial, industrial ou de serviços. O conteúdo programático destacou venda com segurança (necessidade de criação do SCPC, confirmação de dados do cliente, crédito, análise e concessã

3 Dicas do Google para aproveitar os micro-momentos dos consumidores

Imagine a cena: o consumidor está em casa, vendo um filme. Na tela, vê um produto que considera interessante. Imediatamente, lança mão do celular e, em poucos minutos, faz uma rápida pesquisa e encontra seu produto online. Ou descobre onde pode comprar pessoalmente, caso seja sua preferência. Ou apenas pesquisa preço. De qualquer forma, esse cenário ilustra perfeitamente o conceito de micro-momento: algo que acontece rapidamente, é instantâneo. Quem nunca passou por isso? Afinal, poucos são os consumidores que não têm um smartphone sempre em mãos. Os micro-momentos, no entanto, representam um desafio para os profissionais de marketing. Afinal, ser a empresa escolhida para aquela compra, em u

8 Dicas para presentear impulsionar as vendas online no Dia dos Namorados

Passados o Natal e o Dia das Mães, é hora de aguardar outra data importante para o varejo nacional: o Dia dos Namorados. Como tem forte apelo emocional, a data leva muitos consumidores às compras, mesmo em um cenário econômico complicado como o atual. O e-commerce tem ampliado sua participação nas vendas em datas especiais e, para ajudar os varejistas a impulsionarem as vendas online, os especialistas da unidade de marketing da Serasa Experian juntaram dicas importantes. Segundo eles, o varejo online pode ampliar o faturamento nesta data se aplicar planejamento, que una conhecimento do seu público, preço e segurança. Para o gerente da Serasa Experian, Fernando Rosolem, conhecer bem o seu púb

Quatro lições que o varejo pode aprender com o Uber

Quanto maior o número de etapas ou mais atividades exigidas do consumidor, maior é o atrito no pagamento. Portanto, o tempo gasto pelo cliente para concluir um processo de compra é a peça fundamental para uma boa experiência. O aplicativo Uber revolucionou os mercados de pagamentos digitais e de serviços de transporte particular ao possibilitar o checkout de uma corrida sem a necessidade de tirar a carteira do bolso, além de criar uma tendência de economia colaborativa. Diante de tamanho impacto, podemos tirar quatro lições para aprimorar a experiência do consumidor no varejo físico. Confira: 1. Elimine etapas e facilite a vida do cliente Quanto tempo o passageiro leva para pagar a viagem do

Arquitetura pode ser determinante para a competitividade no varejo

O projeto de iluminação que impulsionou as vendas de uma panificadora; o estacionamento que fez saltar o faturamento de uma empresa; projetos que impactam no fortalecimento de marcas e vendas; e como pequenos e médios varejistas podem adaptar seus espaços a tendências de consumo (a exemplo do que já fazem os shopping centers). Essa é uma lista de casos de sucesso alcançados por empresas de varejo a partir de projetos arquitetônicos. Eles serão apresentados a empresários no dia 13 de junho, a partir das 8h, durante o encontro “Como a arquitetura pode alavancar o seu negócio”, na Associação Comercial do Paraná (ACP), em Curitiba. Promovido pela plataforma ARQTTO, o evento é gratuito e aberto a

Comércio de Venâncio já se organiza para festividades juninas

A Câmara do Comércio, Indústria e Serviços de Venâncio Aires – CACIVA estará realizando entre os dias 12 e 24 de junho a 2ª edição da Festa Junina do Comércio de Venâncio Aires. O objetivo é fomentar as vendas, proporcionando aos clientes e visitantes um diferencial nestes dias. Para isso, a Caciva sugere que os lojistas associados se organizem para que seus colaboradores estejam vestidos a rigor com trajes juninos, que as vitrines das lojas estejam enfeitadas com motivos juninos, e que sejam disponibilizadas guloseimas típicas das festas juninas como pipoca, pinhão e rapadura para oferecer aos clientes. Além disso, a Caciva estará oferecendo aos associados um kit decorativo, composto por 2

O empoderamento do consumidor da Geração Z

O consumidor se digitalizou muito mais rápido do que o mercado. As empresas, então, iniciaram uma corrida para, não apenas oferecer multicanalidade aos seus clientes, mas também adotar uma cultura digital interna – com o risco de se desconectarem definitivamente do seu público, se não entrarem nesse modelo. Mas aí você me pergunta: por onde começo esse aculturamento na minha empresa? Para te responder, terei que te devolver outra pergunta: você conhece o atual consumidor? Estamos falando de pessoas que, mesmo que pertencentes às gerações X e Y, se apropriaram das características digitais da Era Z. Isso significa que não importa mais a idade ou o quão tecnológica a pessoa seja, ela está focad

Fabricante de produtos saudáveis cresce na contramão da crise

O Dia da Indústria é comemorado no dia 25 de maio. Chamado de segundo setor da economia, a indústria abarca diversos tipos de produção e é uma das principais geradoras de riqueza, contribuindo para o desenvolvimento do país. Apesar da importância, o setor vem enfrentando uma das piores crises. Para se ter uma ideia, a produção industrial brasileira recuou 1,8% entre fevereiro e março, segundo a Pesquisa Industrial Mensal, divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O indicador continua sem registrar desempenho positivo em 2017 (neste tipo de comparação), que também teve uma queda de 0,4% e uma estabilidade na produção em fevereiro. Em 12 meses, foi registrada uma q

3 Fatores que devem desenhar o varejo do futuro

A cena é clássica: enquanto está na loja, o consumidor está com o celular na mão. Pesquisando preços? Buscando o produto concorrente? Pode ser. Pode, também, estar postando nas redes sociais ou ainda conversando com um amigo pelo chat. O fato é que ele está conectado e, por conta disso, muito bem informado. Como, então, lidar com este consumidor conectado? O estudo “Comprando com emoção”, realizado pela britânica Retail Week Reports, em parceria com a agência Mood Media, permite, então, chegar a algumas conclusões. A ideia inicial era avaliar o papel das lojas físicas neste mundo conectado. Para isso, entrevistaram consumidores e varejistas. A pesquisa também concluiu que o ambiente da loja

O que leva os consumidores às lojas de moda, mesmo na crise?

O que leva os consumidores às lojas? O que eles vão comprar? Em tempos de crise, o que mudou no comportamento destes consumidores? A resposta para essas e outras perguntas está no Estudo de Comportamento de Compra do Consumidor de Vestuário, lançado recentemente pelo IEMI – Inteligência de Mercado. Além de mapear os números do setor, em um comparativo com 2014, o estudo também destacou outros fatores comportamentais. Por exemplo, até 2014, o fator de atração de consumidores mais importante era o bom atendimento (para 50% dos entrevistados da época). Em 2017, porém, o atendimento perdeu relevância para “oferta de preços baixos”. Ou seja: os preços atraem 34% dos consumidores participantes da

Varejo: A emergência de experiências flexíveis

Os consumidores querem que suas experiências com as marcas de varejo fluam de um canal para outro, assim como de uma atividade para outra. Estamos vivendo em um mundo dominado pelo consumidor, uma “época de ouro” para os consumidores. Nenhum lugar deixa isso tão óbvio quanto a indústria de varejo. Os compradores estão no controle, procurando por mercadorias on-line, comprando por meio de sites de e-commerce e até mesmo verificando os preços dos concorrentes enquanto estão nas lojas. Como ganhamos nessa época de ouro do consumidor? Primeiro, precisamos entender o que os consumidores de hoje em dia querem com o engajamento com a marca. Quando se trata de interagir com a sua marca, eles querem

7 Histórias inesquecíveis de atendimento ao consumidor do varejo

Às vezes, tudo o que os clientes precisam é se sentir ouvidos. Claro, ninguém quer ter problemas com uma marca ou produto. E se eles acontecem, o que o consumidor mais quer é uma solução. Mas, mais do que qualquer coisa, um atendimento criativo, rápido e assertivo pode fazer toda a diferença na recuperação da imagem da empresa. 1) O dia em que o Sainsbury’s ouviu uma consumidora de 3,5 anos A jovem britânica Lily Robinson se viu intrigada com uma importante questão a respeito de um pão da rede de supermercados Sainsbury’s: por que o pão tiger (tigre) tinha esse nome se, na verdade, era muito parecido com uma girafa? Lily não segurou a dúvida e enviou uma carta ao varejista. Com a ajuda de s

Campanha do dia dos namorados inicia na próxima segunda

Após a realização da promoção “Minha mãe merece”, a Câmara do Comércio, Indústria e Serviços de Venâncio Aires – CACIVA, através da vice-presidência do comércio, iniciará na próxima semana a promoção “Um amor de presente”. Por solicitação do comércio local, esta é a primeira vez que a entidade realizará uma promoção para o dia dos namorados com sorteio de prêmios. Nessa edição serão sorteados 3 vales-compras de R$500,00 para clientes e 3 vales-compras de R$100,00 para os vendedores. Assim como nas demais campanhas promovidas pela Caciva, os vales deverão ser trocados nas empresas participantes. A promoção acontecerá entre os dias 29 de maio e 12 de junho e terá 62 empresas participantes. Pa

Varejo faz balanço sobre atual momento econômico do Brasil

Na manhã desta quinta-feira (25), a Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo realizou uma reunião ordinária de diretoria com o presidente e vices da entidade. Durante o encontro, a crise da política, da economia brasileira e seus reflexos imediatos foram abordados. Conforme o presidente da AGV, Vilson Noer a crise que assolou o Brasil nos últimos dias já está abalando os índices de confiança das pessoas, dessa forma, pode-se esperar uma maior cautela em novas compras. “É muito preocupante que os investimentos planejados pelos empresários estejam sendo adiados pela queda de confiança na atual situação. Isso tudo implica também no fechamento de empresas, além de mais desemprego”, comen

4 fatores que estão levando o varejo dos EUA à falência

As taxas de falência norte-americanas estão assustando o varejo país. Além disso, recentemente, dois importantes investidores dos Estados Unidos fizeram alertas importantes para a indústria. O primeiro, foi Warren Buffett. O mega investidor foi categórico ao dizer que o fim do varejo como o conhecemos está próximo. O outro alerta veio da empresa de investimentos Cohen & Steers, que gerencia investimentos de US$58,5 bilhões de dólares. Segundo o Business Insider, a empresa divulgou recentemente um relatório dizendo que o declínio da indústria não é temporário. “Essa fraqueza do varejo, que acontece mesmo com uma economia relativamente saudável, é parte de uma evolução permanente de como e ond

Novas lojas oferecem serviços e experiências para vender roupa

Crédito: Keiny Andrade/Folhapress “Lojas não são apenas templos de consumo. Funcionam como centro de convivência que conectam marca, experiência, participação do cliente e propósito”, diz Camila Salek, dona da agência Vimer. A consultora, que já traçou estratégias para marcas como Marc Jacobs, Renner e Burberry, define o novo mantra dos empresários: mais serviço e menos roupa exposta. A força do varejo on-line faz o lojista repensar o relacionamento com o cliente para além da venda. É o caso da americana Levi’s, que periodicamente aluga casarões no Rio e em São Paulo e promove shows, palestras e, eventualmente, exibe uma arara ou outra de roupas. Em 2015, a empresa de tecnologia TimeTrade co

3 fatores que devem desenhar o varejo do futuro

A cena é clássica: enquanto está na loja, o consumidor está com o celular na mão. Pesquisando preços? Buscando o produto concorrente? Pode ser. Pode, também, estar postando nas redes sociais ou ainda conversando com um amigo pelo chat. O fato é que ele está conectado e, por conta disso, muito bem informado. Como, então, lidar com este consumidor conectado? O estudo “Comprando com emoção”, realizado pela britânica Retail Week Reports, em parceria com a agência Mood Media, permite, então, chegar a algumas conclusões. A ideia inicial era avaliar o papel das lojas físicas neste mundo conectado. Para isso, entrevistaram consumidores e varejistas. A pesquisa também concluiu que o ambiente da loja

A reinvenção da loja: comércio agrega outros serviços para não perder clientes

É um salão de beleza com serviço de manicure, depilação, barba e bigode — mas também é um bar com sinuca, videogames e mesa de pôquer. Outro caso é uma loja que tem todo o mostruário, mas não tem estoques e, no meio das roupas, pode-se dar uma paradinha em um café. E, por fim, existe um lugar especializado em quimonos, mas que também vende camisas e saias, tudo de marcas diferentes. Poderia ser uma loja de departamentos (ao estilo da extinta Mesbla, lembram?) ou um shopping, não fosse o fato de que essas empresas são independentes e de pequeno porte. A diversificação de marcas, produtos e serviços em um mesmo espaço é uma tendência que vem sendo posta em prática e já está dando um novo con

5 Tendências da nova economia para empreendedores

Nos últimos anos, o empreendedorismo mudou, e diversos paradigmas foram quebrados. Os avanços tecnológicos e o desejo de tornar o mundo um lugar melhor estão na raiz dessas transformações. O assunto foi tema do painel “Velhos e Novos Paradigmas – o mercado de trabalho no século 21”, realizado na noite desta terça-feira (16/5), durante o evento de abertura do Unibes Lab 2017, um programa de incentivo a empreendedores da economia criativa. O bate-papo contou com a presença de Fernando Simões Filho, fundador da Bemtevi Investimento Social; David Faiguenboim, CEO e fundador da SmartDrive; Thiago Vinicius, fundador do Banco Comunitário União Sampaio; e de Rafaela Cappai, fundadora do Espaçona

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Siga a AGV nas redes socias
  • Grey Facebook Icon
  • Instagram Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Blogger - Grey Circle
Venha nos Visitar

Rua Senhor dos Passos, 235 / 4º andar

Bairro Centro

Porto Alegre - RS - Brasil

Tel (51) 3017.8241

Cel (51)99860.0686

  • Grey Facebook Icon
  • Instagram Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Blogger - Grey Circle