Queremos a sua opinião! Deixe o seu comentário.

Lucro líquido da Lojas Renner tem alta de 10,5% no 2º trimestre

26/7/2016

Com avanço das margens operacionais, a Lojas Renner entregou crescimento do lucro líquido no segundo trimestre deste ano, a despeito da expansão das despesas operacionais. O lucro líquido da varejista atingiu R$ 174,8 milhões entre abril e junho, com avanço de 10,5% ante igual período do ano passado.

 

O Ebitda ajustado da operação de varejo somou R$ 301,8 milhões no segundo trimestre, o que equivale a uma alta de 10,9% em relação ao mesmo intervalo de 2015.

 

A margem Ebitda ajustada da operação de varejo ficou em 20,6%, com avanço de 0,5 ponto porcentual na comparação com os 20,1% do segundo trimestre do ano passado.

 

Por sua vez, o Ebitda ajustado total, que inclui operações de varejo e resultado de produtos financeiros, subiu 9,2% no segundo trimestre deste ano, na mesma base comparativa, atingindo R$ 356,1 milhões.

 

A receita líquida das vendas de mercadorias chegou a R$ 1,464 bilhão no segundo trimestre, com crescimento de 8,2% em relação a igual período de 2015. Já a receita líquida com produtos financeiros teve leve alta de 0,4%, para R$ 182,892 milhões e a receita operacional líquida somou R$ 1,647 bilhão, alta de 7,2%.

 

O crescimento de vendas mesmas lojas foi de 2,9% no período ante 14,5% no mesmo trimestre do ano passado. As vendas da Camicado e da Youcom contribuíram positivamente para esse resultado, informa a empresa em release distribuído à imprensa.

 

O diretor Financeiro da Lojas Renner, Laurence Gomes, destacou em entrevista ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, as margens operacionais maiores do que as obtidas no ano passado, apesar do ambiente "muito promocional" no varejo de moda, que tem se mostrado difícil. "Enfrentamos obstáculos, como as elevadas temperaturas em abril, e ainda assim conseguimos entregar lucro líquido com crescimento de 10,5%", sublinhou.

 

A margem bruta da operação de varejo foi de 57,2%, com aumento de 1,9 ponto porcentual ante o segundo trimestre do ano passado. "Esta foi a maior margem bruta em um trimestre já alcançada pela Renner", disse o executivo.

 

O lucro bruto da operação de varejo foi de R$ 837,9 milhões, com crescimento de 11,8% na mesma base de comparação.

 

Esses resultados se devem, principalmente, à melhor distribuição dos itens de inverno pesado nas regiões, pelo estoque mais ajustado e pela boa execução das operações, o que levou a um menor nível de remarcações nas categorias de inverno, de acordo com a varejista. A reoneração da folha de pagamentos beneficiou a margem bruta em 0,6 ponto porcentual, devido a efeito contábil.

 

As despesas operacionais (vendas, gerais e administrativas) atingiram 35,8% da Receita Líquida de Mercadorias, ante 34,0% do segundo trimestre de 2015, devido, principalmente, aos encargos da reoneração da folha de pagamentos, à abertura de maior número de novas lojas no período e ao novo centro de distribuição de Santa Catarina.

 

"Se excluídos os encargos da reoneração da folha de pagamentos, as despesas operacionais teriam representado 34,6% da receita líquida de mercadorias", diz a empresa.

 

As despesas operacionais chegaram a R$ 525 milhões, com alta de 14% ante os gastos do mesmo período de 2015.

 

Fonte: Jornal do Comércio

Tags:

Please reload

Posts Em Destaque

* Texto publicado no Jornal do Comércio, na edição do dia 23 de março de 2020. 

As medidas apresentadas pelo Governo do Estado para evitar a propagação...

ARTIGO: Impactos econômicos da pandemia no varejo

23/3/2020

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo